PUB
mascote
Banner Favoritos
PUB


BDSM

Fetiches e fantasias podem ser tratados com muito descaso nas realidades dos parceiros/casais atuais. Mas, aqui esclareceremos todas as suas dúvidas para que, talvez, sejam implantadas na sua rotina de forma muito prazerosa e picante.

BDSM é a junção das seguintes práticas: Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo, e Masoquismo. Prática que passou a ser mais divulgada após o lançamento do livro Cinquenta Tons de Cinza (E.L James), onde o personagem principal, Christian Grey, é adepto ao BDSM, sendo ele o Dominador.

  • Bondage: A principal fonte de prazer se baseia em amarrar/imobilizar a pessoa com quem você está se relacionando.
  • Disciplina: Diretamente ligado a controle e obediência.
  • Dominação: Ser responsável pelas ordens; autoridade.
  • Submissão: Receber/se submeter a ordens de um superior e segui-las a risca; subordinação.
  • Sadismo: A principal fonte de prazer, nesse caso, é com a humilhação ou sofrimento físico do parceiro; satisfação com a dor do outro.
  • Masoquismo: Sendo o oposto do sadismo; pessoa que busca o sofrimento, a humilhação, e a dor para si.

Agora que a introdução de como é, como funciona, e como fazer e praticar BDSM foi feita, partiremos para a parte funcional.

Essa prática é dependente de muita entrega e combinado entre os parceiros. Há a necessidade de uma palavra de emergência (necessariamente bem aleatória – para que os sadistas não sintam mais tesão ainda com dizeres como “para!” ou “está me machucando!”).

Também há a necessidade de sempre esclarecer limites, pois, os adeptos a essa forma de excitação não costumam ter a iniciativa de interromper o ato.

É sempre importante participar de BDSM com uma pessoa que você tem confiança, e lembrar-se também, que todo esse estimulo não necessariamente significa sexo.

As vezes, é sobre sentir tesão, desejo, e descarregar energias. A prática geralmente ocorre sem beijos, sem carícias sensuais e leves, e sem penetração. Por isso, quem está disposto a essa experiência, tem que compreender que esse tema lida mais diretamente com a sensação primitiva, do que realmente gozar.

Apesar de soar como um ato mecânico, e as vezes até cruel, BDSM está presente mesmo que minimamente nas transas do cotidiano da maior parte dos casais. Que seja inovando com uma algema à cama, ou com xingamentos sussurrados entre gemidos.

Se você sente interesse em testar e praticar BDSM – ou alguma vertente disso, comece introduzindo pequenas novidades a sua transa; leves tapas, dizeres mais submissos “eu sou sua”, ou mais dominadores, como “me obedeça que eu te recompenso” podem ajudar muito nas descobertas do seu tesão.

Agora que você já está introduzido no básico sobre como fazer BDSM, não tenha medo de expor suas vontades para seu parceiro e descobrir uma nova forma de atração instintiva!

Nicolas Dante

Estudante apaixonado por assuntos relacionados a sexo, afinal, isso faz muito bem para a saúde física e mental.
Adoro temas como fetiches e coisas do tipo, esse universo me encanta e me motiva a atualizar o blog!

Cadastrar Grátis