mascote
PUB


Estagiária gostosa

Sou gerente de um escritório de advocacia, trabalho aqui desde jovem, hoje tenho 40 anos de idade. Sou um homem bonito, alto, de cabelos loiros, com os primeiros fios grisalhos.

Nunca fui de me envolver com funcionárias da empresa, afinal, isso pode trazer grandes problemas, mas dessa vez não consegui aguentar a situação.

Quando a Aline entrou na empresa, logo passei a reparar na presença dela. Uma morena, alta, cabelos encaracolados, lindíssima, sempre bem humorada e com um sorriso no rosto. Ela tem em média 23 anos de idade.

Sempre passei as ordens a ela como a qualquer outra funcionária, mas ela era muito competente e prestativa. Não questionava as ordens e fazia tudo com rapidez e agilidade.

No início da manhã, sempre estávamos só nós na empresa, devido aos outros funcionários começarem a chegar uma hora e meia depois da gente, então tomávamos café da manhã juntos e conversávamos sempre.

Ela tinha boas histórias, apesar de jovem era uma menina interessante e claramente independente, isso me enlouquecia, todas as outras funcionárias pareciam esperar por uma oportunidade para subir de cargo com favores sexuais, ela não.

Recatada, nunca abusou de decotes ou nada do tipo, nunca tive nenhuma reclamação dela, estava ficando insano naquela mulher.

Em uma dessas manhãs resolvi fazer um movimento, tentar me aproximar para ver qual seria a reação dela. Ao chegar, elogiei ela e disse que o perfume que ela usava era muito bom. Ela me agradeceu e não disse mais nada.

Disse que o namorado dela deveria ser um cara sortudo para conseguir estar com uma mulher bonita e sempre tão cheirosa como ela, ela riu e corou:

- Eu não tenho namorado, chefe. Tenho casos, mas não posso me permitir apaixonar nessa idade, preciso concluir a minha faculdade e trabalhar bastante ainda…

Eu logo peguei a sacada:

- Então você só tem uns casos, né? O que um homem precisa ter para um caso com você?

- Bom, precisa ser um cara interessante, com uma ideia legal para trocar, tem que ser bonito…

Cheguei mais perto dela, a sala em que estávamos pegava fogo, eu conseguia sentir a tensão na minha pele, ela também.

Coloquei a minha mão na coxa dela e perguntei se ela já tinha pensado em mim dessa forma, se ela já tinha imaginado ficar comigo em algum momento, ela recuou:

- Claro que não, chefe! Isso pode acabar com a minha carreira aqui... Se alguém descobre eu vou me dar mal!

Coloquei a mão na coxa dela e disse:

- Se estiver do meu lado, não vai se dar mal… não deixo ninguém te tirar daqui!

Ela colocou a mão sobre a minha, começou a me beijar com muita vontade, sem medo nenhum. Retribuí aquele beijo e sentei em uma cadeira, com ela no meu colo.

Quando vi, as minhas mãos já estavam na bunda dela… e que bunda! Aquela mulher era uma completa obra de arte, não sabia o que dizer sobre isso.

Belíssima, gostosa, cheirosa e muito disposta a foder comigo.

Tirei a roupa dela e vi dois peitos lindos, morenos, uma das mulheres mais gostosas com quem já fui para a cama, sem sombra de dúvidas.

Tirei o meu pau para fora da calça social e pedi para que ela me pagasse um boquete.

Ela ajoelhou e engoliu o meu pau inteiro, sem fazer perguntas. Apenas ajoelhou e começou a me chupar como se tivesse feito isso a vida toda.

Ela era muito, mas muito boa de cama. Ela sabia como me agradar, chupava minhas bolas e batia a punheta mais gostosa do mundo com a sua mão macia.

Depois de guardar muito a vontade de gozar, decidi foder ela. Coloquei ela sentada na mesa e coloquei o meu pau dentro dela, ela gemia gostoso demais.

- Me fode, chefe!  Come a minha bucetinha! Não queria me comer? Agora aproveita!

Comecei a socar cada vez mais fundo naquela buceta toda melada de tesão, ela estava me levando à loucura!

Já não sabia mais o que fazer, virei ela de costas e perguntei:

- Posso socar no seu cuzinho? Me deixa colocar?

Ela autorizou e eu senti aquele cuzinho apertado ao redor da minha pica, fazendo uma massagem deliciosa no meu cacete.

Comecei a bombar e logo senti aquele calor, aquela vontade de leitar aquele rabo todo.

- Vou dar porra no seu cuzinho, minha puta! Quer levar porra do chefe?

- Goza no meu cu, vai! Goza fundo dentro do meu cuzinho, vai! Goza gostoso, goza, mostra que foi bom me comer!

Eu esporrei aquele rabo inteiro, quando tirei o meu pau, todo o leite escorreu para fora, como uma enxurrada de porra.

Fodi com ela ainda muitas vezes depois dessa, ela se tornou minha parceira casual, dona das minhas melhores transas.

Quem sabe não conto aqui alguma outra experiência depois? Resta a curiosidade, Aline sempre me visita, ainda trabalhamos juntos.